Biología

Vírus da Hepatite C: Estrutura e Função

Hepatite C

O fígado desempenha muitas funções essenciais, como eliminar as toxinas do sangue e produzir a bile, que elimina resíduos e gorduras durante a digestão. Os danos ao fígado impedem que ele execute essas tarefas e leva à acumulação de muitas substâncias nocivas no corpo.

A inflamação do fígado é conhecida como hepatite e pode ser causada por álcool, drogas e infecção por bactérias ou vírus. Existem vários tipos de vírus da hepatite, assim chamados devido aos sintomas semelhantes que causam, embora sejam muito diferentes em sua estrutura e replicação. Enquanto existem agora vacinas para prevenir tanto a hepatite A e da hepatite B, não existe uma vacina para o vírus da hepatite C .

Esta doença é um grande problema de saúde global, causando cerca de meio milhão de mortes por ano. Também existem cerca de 170 milhões de pessoas vivendo com o vírus. Muitas dessas pessoas poderiam ser curadas com antivirais , drogas que visam especificamente o vírus, mas muitas pessoas não percebem que estão infectadas ou não podem pagar por tratamentos caros.

A hepatite C é transmitida principalmente pelo sangue, embora às vezes possa ser transmitida sexualmente. Antes da ampla triagem de doadores, as pessoas eram infectadas por transfusões de sangue ou doações de órgãos. A maneira mais comum de se infectar hoje em dia é usando equipamentos médicos não esterilizados, como o compartilhamento de agulhas para o uso de drogas ilegais ou a realização de uma tatuagem.

Infecções Agudas e Crônicas

O vírus da hepatite C pode causar dois tipos de infecções: agudas e crônicas. Uma infecção aguda significa que dura pouco. Uma infecção crônica , entretanto, significa que o vírus permanece no corpo por muito tempo. A hepatite C aguda pode ocorrer nos primeiros 6 meses após a infecção pelo vírus. A maioria das pessoas não apresenta nenhum sintoma durante esse período, portanto, não fazem ideia de que têm o vírus. Aqueles que se sentem enjoados geralmente se queixam de dores nas articulações, febre, vômitos, fadiga e um amarelecimento dos olhos conhecido como icterícia .

Cerca de 20% das pessoas infectadas com hepatite C serão capazes de superar a infecção e seus sistemas imunológicos serão capazes de eliminar todos os vírus do corpo. O restante das pessoas desenvolverá hepatite C crônica. Durante a maior parte da vida, provavelmente não mostrarão sinais de doença e não farão ideia de que estão doentes. O vírus causa danos ao fígado muito lentamente ao longo de anos ou mesmo décadas, semelhante aos danos ao fígado causados ​​pelo alcoolismo.

A maioria das pessoas não percebe que tem o vírus até que sejam diagnosticadas com algum tipo de doença hepática. Muitos desenvolvem cirrose hepática, o que significa que o tecido saudável do fígado foi substituído por tecido cicatricial. Depois que esse dano ocorre, ele não pode ser revertido e impede o funcionamento normal do fígado. Pessoas com hepatite C também apresentam risco elevado de desenvolver câncer de fígado. Em casos graves, a pessoa precisará de um transplante de fígado para sobreviver.

Estrutura viral e replicação

O vírus da hepatite C possui um envelope externo contendo duas proteínas do envelope viral: E1 e E2 . Embaixo da membrana está uma camada da proteína do núcleo viral , que se liga ao genoma viral formando o nucleocapsídeo onde o RNA está localizado. Você pode pensar nisso como uma cápsula ('-capsídeo') que contém o ácido nucléico ('nucleo-'), neste caso o RNA. O genoma viral do vírus da hepatite C é um RNA de fita simples que codifica 11 proteínas.

Estrutura viral da hepatite C
estrutura da hepatite c

As células primárias infectadas pelo vírus da hepatite C são células do fígado chamadas hepatócitos . As proteínas do envelope viral reconhecem marcadores na superfície dessas células. Isso faz com que a célula dobre sua membrana para dentro, levando o vírus para uma pequena bolsa conhecida como endossomo . É um pouco como o Pac-Man comendo um ponto, em que a célula do fígado é o Pac-Man e o endossomo é a boca do Pac-Man, que come o ponto, o vírus. Só que este ponto não desaparece.

Uma vez dentro da célula, a membrana viral se funde com a membrana do endossomo, liberando o nucleocapsídeo viral no citoplasma da célula. O genoma do RNA viral é semelhante ao RNA mensageiro da célula ( mRNA ), de modo que pode ser traduzido por ribossomos no retículo endoplasmático da célula. O longo trecho do RNA viral é traduzido em uma longa proteína, um polipeptídeo , com todas as proteínas virais unidas.

Vírus Hep C se replicando dentro de uma célula do fígado.
replicação hec c

As enzimas celulares e virais, conhecidas como proteases, são necessárias para separar essa longa proteína em proteínas funcionais menores. Isso produz as outras proteínas não estruturais (p7, NS2, NS3, NS4A, NS4B, NS5A, NS5B) que desempenham papéis importantes no complexo ciclo de vida desse vírus.

Ambas as proteínas virais (como NS4A) e proteínas celulares e membranas são usadas para criar complexos de replicação viral no citoplasma. Esses complexos reorganizam as coisas na célula para tornar a produção viral mais eficiente. Você pode pensar nisso como montar uma linha de montagem em uma fábrica.

Nestes complexos, o RNA viral é copiado por NS5B. Esta proteína é uma RNA polimerase dependente de RNA , o que significa que ela usa o RNA como um molde para fazer mais RNA. Isso está em contraste com as RNA polimerases humanas, que normalmente usam o DNA como molde para fazer o mRNA celular. A polimerase NS5B é auxiliada pela NS3, que se liga ao RNA de fita simples viral e impede que ele se enrole em si mesmo. Os complexos de replicação viral formam os novos genomas virais e proteínas virais, que podem então se reunir em novos vírus a serem exportados para fora da célula.

Resumo da lição

A inflamação do fígado, ou hepatite , pode ser causada por infecções ou coisas como beber muito álcool. Uma das principais causas da doença do fígado é o vírus da hepatite C . É um sério problema de saúde global e não há vacina para preveni-lo. O vírus pode causar uma infecção aguda ou permanecer no corpo por anos, causando uma infecção crônica . Com o tempo, o vírus causa danos ao fígado, levando à cirrose ou câncer de fígado. O vírus infecta os hepatócitos , que são células importantes do fígado. Uma vez que o vírus entra no citoplasma da célula, ele cria complexos de replicaçãofeito de proteínas virais e celulares. Esses complexos são usados ​​para acelerar o processo de criação de novos vírus.

Artículos relacionados