Negocio

Poder de monopólio: definição, fontes e abuso

O que é poder de monopólio?

Você já jogou o jogo de tabuleiro Banco Imobiliário? Nesse caso, você sabe que a estratégia para vencer o jogo – e se tornar o monopolista – é controlar toda a economia. Mas essa estratégia às vezes existe fora dos jogos de tabuleiro também. No mundo dos negócios, o poder de monopólio ocorre quando há apenas um vendedor em um mercado.

Por exemplo, digamos que a Comcast fosse o único provedor de televisão a cabo em sua área. Se você quisesse conectar seu cabo, não teria escolha a não ser ir para a Comcast. Por causa disso, a Comcast saberia que poderia cobrar o que quisessem e, se você quisesse TV a cabo, teria de pagar.

Monopólios não são permitidos pela legislação antitruste

Em casos raros, os monopólios podem operar pelo governo federal, mas como regra geral eles são ilegais sob a lei antitruste dos Estados Unidos e são altamente desencorajados. Os Estados Unidos têm uma filosofia geral de que nossa economia é um mercado livre com concorrência aberta e justa para qualquer pessoa entrar e operar.

A lei antitruste rege o poder de monopólio. A lei determina que uma empresa pode ser monopolista mesmo que não seja a única vendedora ou prestadora de serviços no mercado (mais sobre isso abaixo). A lei antitruste também afirma que o tamanho por si só não determina se uma empresa é um monopólio. Por exemplo, uma mercearia de propriedade de uma família localizada em uma cidade isolada nas montanhas é um monopolista se for a única mercearia que atende aquele mercado específico.

A ideia principal por trás da proibição do abuso de monopólio

Por que existe a lei antitruste? O governo não quer que você seja o único a vender um determinado bem ou a fornecer um determinado serviço porque deseja que todos possam escolher de onde ou de quem desejam comprar. No exemplo da Comcast acima, o governo quer que você escolha de quem comprar seu cabo. O governo também quer que você e qualquer outra pessoa que deseje ser capaz de fornecer seu serviço a cabo se quiser, não apenas a Comcast do exemplo acima.

O que importa em provar o poder de monopólio

Ao provar que uma empresa possui poder de monopólio, o que importa é o tamanho do negócio em relação à área de atuação e aos clientes atendidos. Isso ocorre porque o poder de monopólio envolve literalmente o poder de afetar os preços, bem como a quantidade de um bem ou serviço oferecido. O poder de monopólio pode ser provado por evidências diretas de que uma empresa usou seu poder para controlar preços e restringir a quantidade de um bem ou serviço oferecido. O poder de monopólio pode ser provado indiretamente, mostrando que a empresa possui uma parte dominante do mercado e que existem barreiras significativas para que novos concorrentes comerciais entrem no mercado.

Poder de monopólio no contexto do direito empresarial

Conforme mencionado acima, uma empresa não precisa ser a única vendedora no mercado para ser chamada de monopólio. Um monopolista também é qualquer empresa que ignora substancialmente as empresas rivais ao definir os preços de venda de seus produtos ou que, de alguma forma, impede que empresas rivais concorram no mercado. Às vezes, os monopolistas impedem que empresas rivais entrem no mercado.

Mas o poder de monopólio por si só não é considerado crime de monopolização. A ofensa requer a intenção de monopolizar. Então, o que exatamente isso significa?

Seu negócio pode ser um monopólio como resultado de um bom julgamento comercial, do desenvolvimento de um produto superior ou até mesmo por acidente. A sociedade não deve condená-lo pelo sucesso de seu negócio ao oferecer algo que os clientes desejam. Portanto, para ser culpado de um crime de monopolização, você seria obrigado a ter a intenção de monopolizar, o que significa que você se envolveu propositalmente em uma conduta comercial com a intenção de tornar seu negócio um monopólio.

Resumo da lição

Um poder de monopólio ocorre quando uma empresa domina um mercado inteiro. O governo dos Estados Unidos desencoraja os poderes de monopólio, alegando que os consumidores devem ter opções sobre onde comprar os produtos e nenhuma empresa deve impedir a concorrência de entrar no mercado livre. No entanto, para cometer o crime de monopolização, você deve ter a intenção de criar e manter um monopólio. Quando seu negócio é um monopólio como resultado de mera coincidência ou bom senso comercial, você não deve ser penalizado ou considerado culpado de monopolização.