Psicologia

Aprendizagem baseada em problemas: ideias, atividades e projetos

Aprendizagem baseada em problemas

Como professor ou instrutor, você já concluiu um plano de aula e pensou: ‘Certamente, há algo mais emocionante que posso fazer com esta aula para ajudar meus alunos a aprender!’ Bem, você está certo. Existe uma maneira mais interessante de ajudar seus alunos a aprender. A Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL) é uma ferramenta de ensino que coloca o aluno no controle do aprendizado. É dirigido pelo aluno e não pelo professor. Ele permite que o aluno (ou grupo de alunos) explore e faça investigações mais profundas sobre o tópico que o professor ou instrutor apresentou a eles. Vamos dar uma olhada em alguns motivos para usar o PBL em sala de aula, bem como alguns exemplos para diferentes disciplinas.

Usando PBL

A Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL) é uma ótima ferramenta para ajudar os alunos a se aprofundarem no tópico que você está ensinando. Também permite que o aluno conecte o mundo real ao conceito que você deseja que eles aprendam. Quando o aluno se depara com um problema real para resolver (ou tentar resolver), isso também ajuda a desenvolver habilidades de pensamento crítico. Também cria um novo nível de motivação do aluno, porque o aluno ‘possui’ o problema que se apresenta a ele, e encontrar a solução para o problema se torna importante para ele. Além disso, pode ser útil lembrar que o PBL não significa necessariamente que o problema deva ser resolvido. Às vezes, o PBL é usado para ajudar os alunos a pensar de maneira diferente sobre um problema ou para envolver habilidades de pensamento de ordem superior.

A beleza do PBL é que ele é aplicável a quase qualquer disciplina ou assunto. O PBL pode ser usado para reforçar ideias apresentadas em uma palestra ou lição, ou pode ser usado como a própria lição! O PBL pode ocorrer em um período de aula, ou pode ocorrer durante todo o semestre ou ano letivo. A chave para fazer o PBL funcionar é criar uma atividade ou grupo de atividades que permita ao aluno se envolver nas atividades com o mínimo de intervenção sua. O professor ou instrutor está lá para orientar e apoiar, mas o aluno está no controle da atividade.

ponto de interrogação

Ideias e atividades PBL

A primeira coisa a fazer ao decidir usar o PBL é determinar o objetivo final. Que conceito ou tópico seus alunos precisam aprender, e como o PBL pode ajudá-los a fazer isso? Depois de determinar sua meta final, você pode começar a projetar atividades para ajudar seus alunos a atingir essa meta.

As atividades podem assumir muitas formas diferentes. Em uma aula de estudos sociais ou sociologia, você pode usar estudos de caso para que os alunos apresentem questões para um problema social que você está estudando. Em uma aula de ciências, prepare o cenário para um ‘surto de doença’ e deixe os alunos rastrearem a origem do surto, explicar por que aconteceu e descobrir como prevenir outro surto. Se você está ensinando história, pode criar um cenário em que Lee Harvey Oswald seja levado a julgamento pelo assassinato de John F. Kennedy e atribuir a cada aluno uma função no tribunal (ou seja, juiz, advogado de defesa, promotor, júri, repórteres, etc. ) Em uma aula de matemática, o PBL pode ser usado para ajudar a conectar conceitos matemáticos a desafios e problemas do mundo real. Em uma aula de psicologia, um projeto Photovoice ajuda os alunos a identificar e chamar a atenção para qualquer número de problemas sociais que precisam de soluções. Como você pode ver, as possibilidades de usar o PBL são limitadas apenas pela sua criatividade e imaginação.

Resumo da lição

A Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL) é uma ferramenta de ensino que pode ser usada para reforçar ideias ou para ensinar novas. Ele pode ser usado para ajudar os alunos a aprofundar a investigação sobre um determinado tópico e também pode ser usado para desenvolver habilidades de pensamento crítico. É dirigido pelo aluno em oposição ao professor. O PBL é flexível e adaptável a praticamente qualquer assunto, disciplina ou tópico e é limitado apenas pela criatividade e imaginação do professor. Tenho certeza de que, assim que começar a usar o PBL, você o verá como uma adição valiosa à sua caixa de ferramentas de ensino!